quinta-feira, 18 de abril de 2013

Pensando sobre a estética da folha de caderno


O caderno, um lápis ou uma simples caneta esferográfica. Pronto. Eis o ambiente fértil para criações livres, presas entre as linhas demarcadas do suporte.
Agora, pense: um caderno, caneta ou lápis e uma reunião ou uma aula, nas quais você deve sentar, anotar e falar de vez em quando. Pronto, eis aí o cenário de maior possibilidade de criação livre do mundo!

nesses momentos, desenhamos sem pensar. É o simples ato lúdico de equilibrar a formalidade da ocasião com um momento só seu de diversão e distração.
Ao mesmo tempo, nesse processo é possível sim, investigar possibilidades estéticas enquanto brinca... por exemplo a ilustração abaixo foi conseguida do celular:



hoje em dia, é normal as folhas de caderno virem com bordas, molduras cheias de desenhinhos como se isso fosse impedir do ser humano a necessidade ornamentar o seu espaço.
Oh! Então, o que fazer? Compor! Se aproveitar dos elementos gráficos dando-lhes novos sentidos.

um outro direcionamento é pensar as linhas. Ah, as linhas!!! o quanto podem ser úteis  em cadernos desenhados!
ao mesmo tempo em que oferecem uma nova estética ao desenho, uma informalidade à obra, elas podem servir também como elementos da própria obra... como?
  1. elas podem servir de estampas de um determinado elemento, uma roupa listrada por exemplo;
  2. podem servir de base para contrução de um desenho mais técnico;
  3. podem ser grades, chão, caules de flores, plantinhas
  4. enfim, podem ser o que vc quiser, e também podem não ser nada, ser simplesmente parte do suporte de desenho;
O que interessa mesmo, é observar essa possibilidade como mais uma, para criação e construção de novos sentidos
é perceber que na simplicidade do cotidiano, de algumas práticas que já são até parte da nossa cultura - sim, desenhar estrelinhas, corações bonequinhos é cultural - devem ser insvestigadas
e dentro desse contexto, nos oferecer mais possibilidades de criação!
Vamos pensar em algo inovador com os desenhos nas folhas de caderno?

Nenhum comentário:

Postar um comentário